Na Política

Biblia Online

21/12/12 | 07:08h (BSB)

Edvaldo está disponível para cargo no Governo, e quer fortalecer bloco de Déda

“Deixo a prefeitura numa situação excelente”, se despede o prefeito, alertando para queda de receita

Por Raissa Cruz

 

O prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira (PCdoB), em uma despedida prévia da sua gestão, disse em coletiva à imprensa que deixará a prefeitura “muito bem organizada”, com todas as obras almejadas encaminhadas, contudo, ele alerta o prefeito eleito João Alves Filho (DEM) para a queda de repasse, do Fundo de Participação dos Municípios que pode levar a prefeitura a enfrentar momentos de crise. Edvaldo destaca também que a partir de 2013 vestirá a camisa pelo “crescimento e unificação do bloco” do liderado pelo governador Marcelo Déda, diante da forte oposição do grupo dos Amorim (PSC), além de estar disponível para assumir um cargo no Governo do Estado.

 

O senhor acha que deixa a prefeitura numa situação confortável para o novo prefeito?

Eu deixo a prefeitura numa situação boa, excelente. Nós investimentos mais de R$ 400 milhões n capital, não tem uma área da cidade que não tenha uma obra da nossa gestão. E vamos deixar mais de R$ 110 milhões em investimentos, de recursos do PAC II para que seja dado continuidade ao trabalho, como, por exemplo, a ligação do conjunto Beira Rio ao Augusto Franco, que está com 60% concluído, mas já está com os recursos necessários para que a obra seja apresentada, assim como as demais obras que estamos deixando em andamento estão com os recursos disponíveis. Além do projeto de Mobilidade Urbana, que já está sendo apreciado pelo Ministério das Cidades e já se encontra na Câmara Municipal de Aracaju.

A grande questão da atualidade é a queda de receita que estamos vivendo, que aqui diminuiu a receita em R$ 30 milhões. O prefeito deve estar preparado para enfrentar a mesma crise que eu enfrentei. Em 2008, por exemplo, bem no meio da crise, concedemos um reajuste menor, justamente para se equilibrar no momento. Mas mesmo assim eu vou deixar melhor do que como peguei, do mesmo jeito que Déda deixou melhor do que pegou também.

 

Diversas obras ainda não foram concluídas, isso deixa o senhor insatifeito?

Vou deixar a prefeitura muito bem organizada com todas as obras em andamento. Tudo que eu prometi em minha campanha eleitoral eu realizei ou está em processo de realização. Mas existem projetos que me deixa hoje insatisfeito por eu não ter conseguido concluir, como a a implantação do aterro sanitário e a conclusão da licitação do transporte público, mas ambos projetos não forma concluídos por motivos judiciais.

Por outro lado me alegra saber que sou um prefeito que depois de 30 anos construiu uma bairro novo na cidade: o Bairro Modelo. Construiu um viaduto que contribuiu muito para fluir o trânsito da cidade ali na região do DIA, fora diversas escolas novas... Estou com a sensação de dever cumprido, e vou estar torcendo para que João faça uma excelente administração também para o bem da população.

 

É verdade que a partir de 2013 o senhor deve assumir uma secretaria no Governo do Estado?

Eu vou estar é desempregado a partir de 2013. Não tem nenhum convite ainda, mas depois da viagem de férias que estarei fazendo, vou estar disponível ao governador. Sou um aliado e amigo do governador Marcelo Déda, tenho experiência acumulada como prefeito e experiência política, e estou à disposição para colaborar com o governo e nossa coligação, mas essa contribuição pode ser tanto como cargo como sem cargo, isso não me aflige. Eu sempre construí minha carreira política fora do Poder, então ajudarei da mesma forma fora do Poder.

 

O governador vai contar com Edvaldo Nogueira nesses dois anos pós-prefeitura para ajudar a lidar com a oposição do grupo do PSC?

Sim, pode contar comigo, sou um aliado desde 1979. Vocês vão me ver a partir de fevereiro atuando de forma muito participativa para que a nosso bloco político cresça, se fortaleça, e cada vez mais ganhe espaços políticos. Para mim a política não é uma guerra, tanto que adversário para mim é secundário. Porque eu acho que é bem melhor nós mostrarmos o que temos feito, organizar melhor nossas ações, potencializar o governo do que ficar preocupado com o outro lado. Esse é o momento também de unificarmos o nosso bloco, para sair para a luta.

 

É verdade que seu próximo foco será a disputa em 2014, como deputado federal?

É uma possibilidade que considero muito plausível. Eu me considero preparado para assumir um cargo na Câmara Federal, do ponto de vista da experiência política e intelectual, e vou disputar um mandato, mas tudo depende do tempo, já qu vou ficar dois anos sem mandato.

 

Saudades

Eu não sentirei saudade do cargo, da cadeira, da caneta. Mas sentirei saudade de três coisas, e nem sei como vou curar essa saudade: 1º a saudade de passar por uma obra e lembrar que foi quem realizei melhorando a vida da comunidade, como o viaduto Jornalista Carvalho Déda (DIA), as escolas, as casas entregues... 2º a saudade da convivência com os secretários, os quais eu agradeço pelo empenho e dedicação. 3º o assédio da imprensa, e talvez seja essa a falta maior que eu vou sentir. A imprensa foi muito generosa comigo, e isso agradeço.

 

Da redação Universo Político.com



20-10-2017
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter