Na Política

Biblia Online

25/05/20 | 10:46h

Em alguns períodos do ano é comum passarmos pela frente de algumas lojas e lermos o seguinte aviso: “Fechado para balanço”. Esse é o período em que muitas empresas param tudo para conferir estoque, reavaliar os processos e, a partir daí, adotam as medidas necessárias para a próxima etapa. A gente aprende em Administração a importância dessa visão sistêmica - analisar os produtos que vão abastecer a loja, cuidar do processamento, a estratégia de venda, obter o feedback para, então, fazer a retroalimentação, recomeçando o processo. Será que não devemos fazer o mesmo em relação a nossa vida? Fecharmos para balanço?

 

Inclusive, esse “balanço” pode ser feito agora, durante o momento de quarentena. O período de isolamento social por conta da pandemia do Coronavírus, mesmo para os que estão de home office, é oportuno para reservar um momento de imersão interior, avaliando cada passo dado na vida nos últimos tempos e suas consequências. Vejo pessoas que nem bem saem de um problema e já estão embarcando em outro maior.

 

Isso acontece com a vida sentimental, por exemplo. Pessoas adeptas da frase “um amor só se cura com outro amor”, na verdade acabam se machucando mais ainda, pois não se deram o tempo necessário para avaliar os estragos do "tsunami" que passou por sua vida e já estão entrando em outra tempestade. Isso acontece em várias áreas da vida, talvez seja o imediatismo característico dos nossos dias. Geralmente não gostamos de parar para pensar e muito menos de fazermos autoavaliações, é a velha frase da Broadway: “o show não pode parar”.

 

Quando, através de um grande esforço, paramos para fazer autoavaliação, focamos naquilo que estamos fazendo e não no que somos. Talvez, seja esse o nosso maior equívoco, pois acabamos por fazer mudanças apenas nas nossas atitudes, mas, as mudanças mais profundas, mais significativas, acabamos adiando. Possivelmente, isso aconteça por causa da nossa falta de tempo, do medo de pararmos um pouco, fecharmos para balanço, darmos a nós mesmos um feedback e retroalimentarmos nossa vida.

 

Procure separar um tempinho para ficar sozinho e refletir sobre os acertos e os equívocos que tenha cometido, e, a partir daí, deixar que mudanças interiores sejam tão significativas que transbordem para o seu exterior, fazendo de você uma pessoa melhor. Você pode até dizer para algumas pessoas: "se nessas próximas horas não conseguirem falar comigo, é porque estou fechado para balanço, mas eu volto, e espero voltar melhor".

 

E eu, na ocasião, agradeço a você, caro (a) leitor (a), por acompanhar meus artigos aqui durante todo esse tempo, e aproveito para anunciar que finalizo nesta edição este ciclo de colunas, ou melhor, de troca de vivências. Foi um tempo bastante proveitoso e honroso para mim. Você pode continuar me acompanhando pelas minhas redes sociais: Instagram @luizantonioaracaju/ Youtube pastorluizantoniodasilva/ Twitter @luizantonioaju/ Facebook @pastorluizantoniodasilva. Também será uma satisfação receber seu feedback – canalluizantonio@gmail.com. Um fraterno abraço e até uma próxima oportunidade, se Deus disser que sim. Jesus abençoe!

 

Pastor Luiz Antonio da Silva

19/05/20 | 09:50h

Existe uma hora, um dia, um momento para as coisas na vida, ou seja, chega um tempo em que somos confrontados seja por um pensamento que parece chegar do nada ou por algo que alguém diz e sem perceber acaba mexendo muito com a gente nos levando a profundas lembranças, reflexões e avaliações. Esse dia também pode chegar através de um fato novo. Parece um espaço que se abre no ordinário, no comum, quando de repente eis uma encruzilhada e a sensação de que aquele momento é especial. Quando esse momento se apresenta estamos sendo colocados diante de uma verdade, mas não a verdade dita pelos outros, mas sim a nossa verdade. Verdade sobre o que? Sobre tudo. Nesse dia especial, começamos a questionar as mais diversas áreas de nossa vida. Sabe, é interessante pensar que não apenas a mentira é o antônimo da Verdade, mas também o engano. Pode ser que estejamos enganados quanto a determinadas coisas de NOSSA vida. Enganados pelos mais diversos motivos; pela ignorância, pelos recalques, pelos traumas, pelo conforto... mas precisamos nos deparar com a nossa verdade e isso nos trará a real possibilidade de crescimento. É como se máscaras caíssem dos nossos olhos, como se um grande espelho se apresentasse diante de nós e a imagem que vemos, mesmo sabendo que somos nós, tomamos um susto, pois estamos muito diferentes do que imaginávamos a nosso próprio respeito.

 

Essa é a HORA da VERDADE. Quando isso acontece, o próximo passo será reconhecer quem somos, quem estamos sendo, o que temos ou pensamos ser e ter. Somente quando temos um encontro com essas respostas é que estaremos preparados para crescer. Preciso reconhecer essa verdade, sem isso não posso mudar, melhorar, crescer... quando Jesus disse "conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" estava dizendo ao povo judeu que eles eram escravos do pecado, estava trazendo uma informação a eles, mas eles a rejeitaram dizendo: "Somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como você pode dizer que seremos livres? " quer dizer, não reconheciam a condição que de fato estavam. Só quando reconhecermos nossa condição poderemos saltar para algo melhor...

Se quisermos crescer, precisamos entender que chega uma HORA na vida que seremos colocados diante da NOSSA VERDADE e aí se RECONHECERMOS nossa real situação poderemos dar um passo para as mudanças e viver uma vida com mais verdade, intensidade e abundância, tal como foi proposta por Jesus.


Um forte abraço e até a próxima oportunidade, se Deus disser que sim.
Siga-me no instagram @luizantonioaracaju ou no meu canal youtube/pastorluizantoniodasilva

 

Luiz Antonio da Silva, ministro do Evangelho, é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular no bairro Jardins, em Aracaju, e Supervisor da igreja no Estado de Sergipe. Possui formação acadêmica em Teologia e graduação em Psicanálise Clínica, com pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Também é graduado em Administração, com ênfase em Recursos Humanos e pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas. Apresentador do Programa Pense e Repense, de segunda à sexta, na TV Aperipê às 8h45 e na Rádio Aperipê FM e AM às 12h30, e do Programa No Caminho no www.youtube.com/c/pastorluizantoniodasilva. Colunista no Jornal Correio de Sergipe e no Portal NaPolítica. Contato: luantosilva@msn.com

08/05/20 | 16:52h

Essa expressão, literalmente, significa uma linha imaginária separadora de águas pluviais caídas sobre as montanhas. Mas também é usada para designar um momento específico na vida de uma pessoa, quando um determinado acontecimento muda o seu rumo, ou seja, a sua vida é separada em antes e depois daquele fato. Acredito que seja muito importante percebermos o momento que estamos vivendo e que realmente pode se transformar em um divisor de águas em nossa vida, pois entendo que o momento, por si mesmo, pode ser comum, mas a atitude que tomamos diante dele é que pode transformá-lo em uma marca na nossa vida.


No livro de Daniel, na Bíblia Sagrada, encontramos o relato de um momento desses, quando o próprio Daniel, embora tendo chegado ao império babilônico como um escravo, passou a se destacar tornando-se um dos três supervisores do império, com autoridade sobre mais de cento e vinte sátrapas e governadores. Ele se destacou tanto que o rei Dario já pensava em colocá-lo como o principal supervisor. Bem, todos nós sabemos que quando alguém começa a crescer logo desperta a inveja dos mais fracos. E foi o que aconteceu. Os outros supervisores, por inveja, começaram a procurar alguma falha no trabalho de Daniel. A Bíblia diz que havia sobre Daniel um espírito de excelência dado por Deus e, por conta disso, seu trabalho era irrepreensível. Lembraram, então, que ele era um homem temente a Deus e procuraram encontrar em tal crença alguma coisa que pudesse comprometê-lo.

 

Tiveram, então, a ideia de levar ao rei a proposta de que durante trinta dias ninguém deve orar a nenhum deus, nem pedir nada a qualquer outro homem que não seja o rei. E a pena para quem quebrar essa lei será a de ser jogado na cova dos leões. O rei, sem saber das intenções espúrias dos seus comandados, aceitou e assinou o decreto. A Bíblia diz que quando Daniel soube da publicação de tal decreto foi para casa e, como era costume fazer todos os dias, abriu a janela que dava para a banda de Jerusalém e começou a orar. Ao verem isso, seus opositores o prenderam e ele foi lançado na cova dos leões. Mas saiu de lá ileso, porque Deus o protegeu e, a partir daí, o rei baixou outro decreto que dizia: Saiba em todo o reino que não existe um Deus maior que o Deus de Daniel.

 

Pois bem! O que me chama a atenção é que Daniel poderia ter orado com as janelas fechadas, poderia ter orado escondido. Não haveria nenhum problema, pois estaria apenas sendo prudente. Na verdade, ele entendeu que aquele momento seria um divisor de águas, o que realmente foi, pois em um império cuja crença era politeísta e o nosso Deus era apenas mais um deus aos olhos daqueles homens, por causa de uma atitude especial de Daniel, de repente, passaram a conhecer o poder do Altíssimo.

 

Incentivo-o a observar o momento atual de sua vida. Será que você também não está vivendo uma situação que pode se transformar num divisor de águas? Não deixe passar as oportunidades! A atitude que você tiver diante de uma situação específica pode mudar a história de sua vida. Foi assim com muitos na humanidade, pode ser que tenha chegado a sua hora. Talvez a situação que você tanto lamenta, seja, na verdade, o seu divisor de águas. Tenha fé, seja ousado pela fé, e coisas grandes acontecerão em sua vida. Jesus te abençoe e te guarde.
Um abraço e até a próxima se Deus disser que sim.

 

 

*Luiz Antonio da Silva, ministro do Evangelho, é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular no bairro Jardins, em Aracaju, e Supervisor da igreja no Estado de Sergipe. Possui formação acadêmica em Teologia e graduação em Psicanálise Clínica, com pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Também é graduado em Administração, com ênfase em Recursos Humanos e pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas. Apresentador do Programa Pense e Repense, de segunda à sexta, na TV Aperipê às 8h45 e na Rádio Aperipê FM e AM às 12h30, e do Programa No Caminho no www.youtube.com/c/pastorluizantoniodasilva. Colunista no Jornal Correio de Sergipe e no Portal NaPolítica. Contato: luantosilva@msn.com

05/05/20 | 10:43h

Inteligência é sempre admirável e todos nós a temos, graças a Deus. Talvez a aplicabilidade em tempo correto, a mensuração ideal é que nos fará termos êxito quanto aos resultados.

Mas de que inteligência estamos falando? Afinal, existem vários tipos dela sendo discutidos. Vamos falar de algumas. Inteligência racional: a partir das ligações neurais, o ser humano formula o seu pensamento lógico. Esse tipo de inteligência mede as habilidades e competências da pessoa, permite o avanço técnico-científico, mas possui baixo nível de compaixão, até porque o próprio nome já diz tudo, inteligência racional. Essa inteligência leva as pessoas a visões e soluções cartesianas, trabalha muito mais no aqui e agora, quando se refere ao passado busca dados e quando olha para o futuro usa probabilidades.

A inteligência artificial é um ramo de pesquisa da ciência da computação que busca, através de símbolos computacionais, construir mecanismos ou dispositivos que simulem a capacidade do ser humano de pensar, resolver problemas, ou seja, de ser inteligente. Portanto, sua ligação com a inteligência racional é total, pois novamente se baseia em números, matemática de linguagem computacional. Podemos dizer que ela consegue captar o lado mais frio do homem e só.

Inteligência emocional: nessa, o ser humano é capaz de, através de comportamentos e emoções, realizar o pensamento associativo. Isso quer dizer que a pessoa consegue sentir empatia, relacionar-se com o outro, controlar suas emoções, reconhecer as qualidades dos outros indivíduos e mais. O indivíduo que consegue se apurar nessa busca por inteligência emocional saberá mais de si mesmo, do outro e conseguirá ter uma leitura mais holística do seu entorno e ao aplicar esse conhecimento, também poderá obter resultados extraordinários. Segundo Daniel Goleman, chamado de pai da inteligência emocional, a partir do seu livro “Inteligência Emocional”, de nada adiantará uma pessoa ter habilidades, experiência profissional se não tiver essa expertise na área emocional.

Pois bem, cheguei onde queria, pois, parafraseando Daniel Goleman eu digo, de nada adiantará qualquer tipo de inteligência se não tivermos a Inteligência Espiritual, sendo que Jesus disse: “Sem mim nada podeis fazer”. Então vejamos; Inteligência espiritual: a inteligência espiritual tem como foco, o equilíbrio da vida. Nela, o ser humano pensa e age com direção, resultando, assim, em uma trajetória com mais significado. Uma vez que essa outra dimensão da inteligência é colocada em prática, a pessoa se torna mais criativa, tem mais insights e se comporta com base nos seus valores. É também com a inteligência emocional que traremos ressignificação à nossa vida, pois para aqueles que acreditam em Deus, deverão acreditar também que viemos a esse mundo com propósitos, não estamos aqui por estar, mas com uma história a ser desenvolvida para atender o desejo daquele que nos criou. Muitas pessoas crescem em tantas áreas de suas vidas, mas espiritualmente continuam sendo bebês. Há de se investir nessa inteligência, até porque muitas situações de nossas vidas só poderão ser interpretadas à luz da inteligência espiritual. Então, como vai a sua inteligência espiritual? Você tem crescido? Tem investido? Jesus continue abençoando sua vida, e até a próxima se Deus disser que sim.

 

 

*Luiz Antonio da Silva, ministro do Evangelho, é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular no bairro Jardins, em Aracaju, e Supervisor da igreja no Estado de Sergipe. Possui formação acadêmica em Teologia e graduação em Psicanálise Clínica, com pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Também é graduado em Administração, com ênfase em Recursos Humanos e pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas. Apresentador do Programa Pense e Repense, de segunda à sexta, na TV Aperipê às 8h45 e na Rádio Aperipê FM e AM às 12h30, e do Programa No Caminho no www.youtube.com/c/pastorluizantoniodasilva. Colunista no Jornal Correio de Sergipe e no Portal NaPolítica. Contato: luantosilva@msn.com

05/05/20 | 10:41h

Acredito que esse deveria ser um desafio de todos os dias ou pelo menos de tempos em tempos, reinventar-se, até porque não existe nada mais decadente do que o mesmismo. Ele faz mal ao homem em todos os sentidos, embota o cérebro, produz melancolia, desesperança e outros males. Porém, se reinventar deveria ser tarefa de vez em sempre na nossa vida, e nesse momento de isolamento social, que estamos vivendo, muito mais. É hora de dar uma sincera olhada para o lado de dentro e logo de cara percebermos o seguinte: Como estamos? O que estamos produzindo? Quais nossas expectativas? Estamos felizes? Acredito que o simples fato de fazermos essas perguntas nos trará um extraordinário e positivo desconforto, até porque esse sentimento é o primeiro sinal da necessidade de mudanças.


E se chegarmos as respostas a essas perguntas e estas nos mostrarem que não estamos bem, que estamos parados, caberá então a pergunta da próxima fase: O que fazer? Então, seguem algumas coisas para pensarmos. Primeiro, identifique, de verdade, e com o máximo de precisão que conseguir, qual o seu real estado. Se não conseguirmos saber onde estamos e como estamos, não poderemos definir quem queremos ser e nem onde queremos chegar.


Para isso use sua autoanálise e também a ajuda de pessoas que realmente querem o seu bem. Segundo, trace metas. Agende o que fazer e para quando, ou seja, o famoso plano de ação... O que fazer?... Por que fazer?... Onde fazer?... Quem vai fazer?... Quanto vai custar?... e, Situação... Terceiro, procure se automotivar. Você não pode ficar sempre esperando que os outros te motivem, procure formas de viver com as expectativas lá em cima. Vejamos na prática: tenha imagens nítidas daquilo que você quer alcançar e naquilo que você quer se tornar; ouça músicas que lhe arremetam a esse estado; aproxime-se de pessoas que você sabe que torcem por você e compartilhe os sonhos que tem, assim você sempre terá alguém com quem ficará ansioso para compartilhar sua vitória.
Reinvente-se, ainda existe o melhor de você para ser chamado à existência.


Acredito que essas dicas são preciosas para te levar a um próximo nível de sua vida. Opa, próximo nível é o nome do artigo que verão aqui em breve. Um forte abraço a todos e até a próxima oportunidade, se Deus disser que sim.

 

*Luiz Antonio da Silva, ministro do Evangelho, é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular no bairro Jardins, em Aracaju, e Supervisor da igreja no Estado de Sergipe. Possui formação acadêmica em Teologia e graduação em Psicanálise Clínica, com pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Também é graduado em Administração, com ênfase em Recursos Humanos e pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas. Apresentador do Programa Pense e Repense, de segunda à sexta, na TV Aperipê às 8h45 e na Rádio Aperipê FM e AM às 12h30, e do Programa No Caminho no www.youtube.com/c/pastorluizantoniodasilva. Colunista no Jornal Correio de Sergipe e no Portal NaPolítica. Contato: luantosilva@msn.com

17/04/20 | 09:48h

Certa ocasião, enquanto Jesus estava falando com uma multidão, pessoas começaram a se aproximar d’Ele, querendo ficar cada vez mais perto. Então, observando um grupo de pescadores lavando as redes, Jesus pediu a eles para usar um dos seus barcos e aqueles homens permitiram. Jesus entrou no barco, se afastou da margem e usou a própria água para criar uma distância confortável a fim de ser visualizado por todos e continuar falando com a multidão.

Após terminar sua pregação, despediu–se da multidão e, virou-se para Pedro, o líder dos pescadores, dizendo assim: “Volte a lançar as redes”. Pedro respondeu: “Mestre, trabalhamos a noite toda e nada apanhamos, mas, mediante as tuas palavras, voltaremos a lançar as redes”. E assim fizeram. Voltaram ao mar e, no mesmo lugar onde passaram a noite toda trabalhando sem nada conseguir, lançaram as redes. Para surpresa de todos eles, as redes começaram a ficar pesadas, tanto que Pedro gritou: “Ei, Tiago, venha me ajudar”. E Tiago respondeu: “Não dá. Minhas redes também estão cheias”. Essa pesca foi a maior de toda a vida daqueles pescadores. Por isso, essa passagem bíblica ficou conhecida como “a pesca maravilhosa”.


Essa história nos faz pensar em situações semelhantes que acontecem na vida de tanta gente. Quantas vezes encontramos pessoas lavando as redes, ou seja, desistindo de tentar mais uma vez, desistindo de lutar pelo casamento, desistindo de ver um filho fora das drogas, desistindo de esperar uma promoção onde trabalha, desistindo de um amor, desistindo dos sonhos, lavando as redes. Mas, de repente, chega Jesus, através de um texto de jornal, e lhe diz: “Lance novamente as redes”. É o que está acontecendo agora, Jesus está lhe dizendo para não desistir, para lançar as redes.


Veja que Pedro, na sua conhecida sinceridade, disse a Jesus que ele e os demais pescadores haviam trabalhado a noite inteira e nada conseguiram, mas que, mediante as palavras de Jesus, voltariam a pescar. Da mesma forma, isso pode ter acontecido com você.

Talvez, você já tenha feito diversas tentativas para obter êxito em uma determinada situação, porém, por ainda não ter dado certo, você pode estar cansado. Entretanto, mediante as palavras de Jesus, insista mais uma vez, não jogue a toalha, a vitória é dos perseverantes, dos que não desistem. É possível que você não tenha mais forças para continuar, mas a Bíblia nos diz assim: “Maior é o que está dentro de nós do que o que está no mundo”. Portanto, busque em Deus a força que você precisa para continuar lutando, e receberá em sua vida coisas maiores do que possa imaginar.

Volte a lançar as redes!

 

*Luiz Antonio da Silva, ministro do Evangelho, é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular no bairro Jardins, em Aracaju, e Supervisor da igreja no Estado de Sergipe. Possui formação acadêmica em Teologia e graduação em Psicanálise Clínica, com pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Também é graduado em Administração, com ênfase em Recursos Humanos e pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas. Apresentador do Programa Pense e Repense, de segunda à sexta, na TV Aperipê às 8h45 e na Rádio Aperipê FM e AM às 12h30, e do Programa No Caminho no www.youtube.com/c/pastorluizantoniodasilva. Colunista no Jornal Correio de Sergipe e no Portal NaPolítica. Contato: luantosilva@msn.com

 

07/04/20 | 10:21h

Temos aprendido a controlar a cada coisa por nós mesmos. Controlamos o sol para aquecer nossas casas, assim como controlamos a temperatura dele através do ar condicionado; controlamos os rios poderosos para produzir eletricidade para as nossas cidades; controlamos satélites, no espaço, para transmitir sinais de comunicação às nações do mundo; nós controlamos tantas doenças através de vacinas e de outros medicamentos e tratamentos, MAS, não aprendemos a controlar a nós mesmos. Com certeza foi por isso que Jesus disse que: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo...” pois, o que existe dentro do homem não lhe permitiria seguir a Cristo no sentido de ser submisso a Ele; o orgulho, a prepotência, a arrogância não deixaria esse homem dar ouvidos a palavra do Senhor, portanto a necessidade de autonegação.

Veja sobre essa doença que estamos enfrentando, o corona vírus. O problema não é a doença, mas a dificuldade do próprio homem em entender, aceitar, concordar uns com os outros. A desobediência, a desconfiança que temos quanto as informações que recebemos é por quê? Porque enxergamos interesses pessoais, particulares naqueles que nos dirigem, ou seja, problema dos homens. O PROBLEMA É O HOMEM. Se o homem tivesse mais humildade e buscasse o interesse do outro, ajudasse de verdade os que dele precisam, essa doença seria debelada com muito mais facilidade, mas o que enxergamos é uma guerra de ego, cada um querendo aparecer mais que o outro e olhando para essa crise como uma oportunidade não de crescimento como ser humano, mas a oportunidade de tirar algum tipo de vantagem em cima da desgraça de outros.

Gaste um tempo para descobrir a fonte da maioria dos problemas que os homens, nessa terra, têm e você encontrará a falta de temperança e falta de autocontrole, além de descobrir a ganância, e o egocentrismo. Ao dizer isso, não estou sendo um pessimista de carteirinha, até porque sou, na verdade, um apaixonado e interessado cada vez mais no ser humano. Entendo como minha missão tentar ajudar, e inclusive ao tentar ser útil aos outros acabo crescendo e tendo a oportunidade de olhar no espelho, ou seja, o meu semelhante, e perceber o quanto preciso crescer, mas não podemos crescer e melhorar se não tivermos coragem de encarar nosso estado atual.

E então, certos problemas que você está enfrentando, não será você a verdadeira causa ou pelo menos não será você mesmo a solução?

Não será hora de mudar, de ter coragem e humildade de reconhecer que errou, de querer ser diferente, de querer ser melhor, tomar as decisões acertadas? Até quando seremos vítimas de nós mesmos?

Pois bem, minha crença é de que o ponto de partida é a tal da humildade em reconhecer que como está não está bom, e então desejar, ardentemente, mudar para melhor. Em segundo lugar, entender que essa mudança só pode acontecer através do milagre do novo nascimento que Jesus falou: “Necessário vos é nascer de novo”, e olha que Ele disse isso a um homem que era extremamente religioso, Nicodemos, mostrando que só a religiosidade não basta, mas sim uma transformação sobrenatural que acontece de dentro pra fora. Já pensou o que seria para um religioso importante como Nicodemos o que significaria nascer de novo? Começar tudo de novo, considerar a possibilidade de que havia entendido tudo errado até então. Quem sabe mudar a ordem de valores que já estava estabelecida dentro de si. Pense no reboliço. Pois é isso que o verdadeiro evangelho veio fazer conosco, um reboliço. Jesus continue abençoando sua vida e que você permita esse reboliço acontecer com você, pode ser doloroso, mas no final das contas você sairá como vencedor. Não seja contra você, seja a favor. Até a próxima oportunidade se Deus disser que sim.

A decisão vem do alto, vamos para o alto... ilustração sobre o rato no avião...

 

*Luiz Antonio da Silva, ministro do Evangelho, é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular no bairro Jardins, em Aracaju, e Supervisor da igreja no Estado de Sergipe. Possui formação acadêmica em Teologia e graduação em Psicanálise Clínica, com pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Também é graduado em Administração, com ênfase em Recursos Humanos e pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas. Apresentador do Programa Pense e Repense, de segunda à sexta, na TV Aperipê às 8h45 e na Rádio Aperipê FM e AM às 12h30, e do Programa No Caminho no www.youtube.com/c/pastorluizantoniodasilva. Colunista no Jornal Correio de Sergipe e no Portal NaPolítica. Contato: luantosilva@msn.com

 

30/03/20 | 14:18h

Se tivéssemos poder ilimitado, numa visão humana seríamos super-heróis, numa visão religiosa seriamos deuses, mas não somos nem uma coisa nem outra, somos seres humanos, portanto, com limitações. E é exatamente quando atingimos os nossos limites que temos a possibilidade do sobrenatural se manifestar através da Fé, “O que é impossível para o ser humano é possível para Deus” (Lucas 18:27). Pois bem, estamos vivendo um momento que nos deparamos com os nossos limites. É terrível percebermos a nossa impotência diante de certas situações, mas estamos diante dela, a impotência. Não conseguimos proteger a nós mesmos e aos nossos entes queridos, além de um certo limite. Higienizar as mãos, nos afastarmos dos mais idosos ou dos que tem imunidade baixa por conta de algum quadro de saúde, isolamento social, mas, ainda assim, nos sentimos impotentes diante do inimigo invisível chamado corona vírus. Então, esse é o momento que atingimos a linha limítrofe das nossas forças e possibilidades, hora certa e perfeita para confiarmos Naquele que pode todas as coisas, aliás, o apóstolo Paulo já dizia ao escrever aos Filipenses no capítulo 4, versículo 13, “Tudo posso naquele que me fortalece”; interessante entender que quando ele diz isso, ao contrário do que muitos interpretam, ele não está dizendo que pode alcançar todas as bênçãos e vitórias, mas ele está dizendo que pode suportar todas as tribulações, pois é a isso que ele se refere no versículo anterior, quer dizer, em Jesus podemos enfrentar todas as adversidades, inclusive aquelas que fogem ao nosso controle, aquelas que batem na tampa da nossa experiência, sabedoria, estudos, conhecimentos. Essas tribulações devem nos levar ao reconhecimento da nossa fragilidade e ao mesmo tempo ao reconhecimento da onipotência do nosso Deus. Esse é o tempo, também, de análise e autoanálise, veja quantas vezes reclamamos que certas coisas não podíamos fazer por falta de tempo, pois agora temos tempo, ainda que não seja da forma como gostaríamos, mas temos. Usemos então esse momento para perceber o que não vínhamos fazendo por nós mesmos e agora podemos fazer, colocar nossa leitura em ordem, olhar para dentro de nós e encontrar lixos que precisam ser jogados fora, dar passos fundamentais para a realização dos nossos sonhos; ao mesmo tempo podemos olhar para os que sempre estiveram ao nosso redor e não dávamos conta do quanto são importantes em nossa vida, o quanto precisam do nosso apoio e validação. Paradoxalmente, nesse momento de isolamento, talvez seja a maior oportunidade de aproximação. Voltando a falar sobre nossa impotência e mais uma vez lembrando o apóstolo Paulo, ele diz que: “...quando sou fraco, então é que sou forte”, sabe por que ele disse isso? Porque quando nos deparamos com nossa fraqueza nos encontramos também com a força que vem de Deus. Pode ser que você esteja vivendo um momento de sentimento de impotência, não apenas por esse momento de enfrentamento do corona vírus, mas quem sabe por conta de outras situações que há muito tempo desafiam a sua vida e a sua fé, pois, saiba que você não está sozinho, a promessa do Senhor Jesus é de que estaria conosco todos os dias até a consumação dos séculos, isso quer dizer que Ele estaria conosco nos dias bons e nos dias ruins. Continue confiando no Senhor Jesus, Ele é o nosso socorro bem presente em tempos de angústia. Um abraço (modo de dizer) a todos, estaremos juntos na próxima, se Deus disser que sim.

 

*Luiz Antonio da Silva, ministro do Evangelho, é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular no bairro Jardins, em Aracaju, e Supervisor da igreja no Estado de Sergipe. Possui formação acadêmica em Teologia e graduação em Psicanálise Clínica, com pós-graduação em Teoria Psicanalítica. Também é graduado em Administração, com ênfase em Recursos Humanos e pós-graduação em Gestão Estratégica de Pessoas. Apresentador do Programa Pense e Repense, de segunda à sexta, na TV Aperipê às 8h45 e na Rádio Aperipê FM e AM às 12h30, e do Programa No Caminho no www.youtube.com/c/pastorluizantoniodasilva. Colunista no Jornal Correio de Sergipe e no Portal NaPolítica. Contato: luantosilva@msn.com

 

`

saiba mais




25-11-2020
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

Setransp

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter