Na Política

Biblia Online

Tamanho da letra

23/11 | 06:40h

Centro Cultural de Aracaju realiza exposição A África está em Nós

Com o intuito de relembrar e exaltar as influências africanas na cultura brasileira e sergipana, o Centro Cultural de Aracaju, localizado na praça General Valadão, unidade vinculada à Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), promove a exposição intitulada “A África está em nós”, instalada no Museu Viana de Assis. Aberta na tarde desta segunda-feira, 19, data que antecede o Dia da Consciência Negra, a mostra segue até 2 de janeiro de 2019.

Baseada no livro “A África está em nós”, do autor Roberto Emerson Câmara Benjamin, a mostra é uma reprise da exposição iniciada em 2015 e renovada em 2016, com texto da professora e antiga gestora do Centro Cultural, Aglaé Fontes, e do design de Gustavo Vargas. A exposição conta de que forma a África está em nós e como os seus costumes estão presentes na cultura brasileira através da influência na culinária, com o acarajé, moqueca, caruru e mugunzá; na religião, com os orixás; nas vestimentas, com os turbantes e as capulanas, usadas pelas brasileiras como turbante ou saída de praia; nas danças, como a capoeira e o samba; nos instrumentos, como o berimbau, rabeca e tambores, além dos grupos folclóricos sergipanos como a taieira, cacumbi, lambe-sujo, caboclinho, parafuso, entre outros.

A exposição possui peças de esculturas de madeira dos escultores moçambicanos Alberto Chissano e António Mulungo, boneca com trajes típicos das diversas regiões de Moçambique da artesã Suzete Honwana, além de outros objetos ligados à cultura africana e afro-brasileira. O coordenador do Centro Cultural de Aracaju, Mário Dias, comenta sobre o mês que recebe em seu calendário o Dia da Consciência Negra. “Novembro é singular para todos nós brasileiros. É um período de reflexão sobre a dívida histórica e social gigantesca que temos com os irmãos africanos e também um momento de reverenciar a contribuição da África para nossa identidade”.

Mário completa falando sobre o objetivo da exposição. “Dessa forma, o Centro Cultural de Aracaju resignou essa mostra para que possamos dialogar com os visitantes, turistas e alunos sobre a contribuição e influência da cultura africana no Brasil e em Sergipe. Uma das missões do Museu Viana de Assis é justamente a educação patrimonial, então abordamos na exposição como os nossos folguedos, música e culinária receberam influência direta e decisiva da cultura africana”, explica.

A exposição é guiada e oferece às escolas e aos visitantes uma mini oficina de “abayomi”, que são bonecas feitas com tiras de pano, e contações de histórias com contos africanos. O Centro Cultural está aberto de segunda a sexta, das 9h às 17h, e aos sábados das 8h30 às 13h. As escolas podem agendar visitas através do número (79) 3214-5387. O acesso ao espaço é gratuito.


Da PMA




12-12-2018
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter