Na Política

Biblia Online

28/05/19 | 08:08h (BSB)

Goretti questiona ação do MPE contra seu mandato sobre subvenções

A deputada estadual Goretti Reis (PSD) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde dessa segunda-feira (27), para questionar a Ação Civil Pública por Improbidade Administrativa com pedido de compensação ao dano moral coletivo movida pelo Ministério Público Estadual da Comarca de Lagarto, baseada em denúncia pública feita pelo então deputado estadual Valmir Monteiro que alegava irregularidades quanto ao repasse do valor de R$ 1,5 milhão das antigas verbas de subvenção social para a Maternidade Zacarias Júnior, em Lagarto.


Goretti disse que até o momento não recebeu qualquer notificação do Ministério Público e que só tem conhecimento do assunto através do que vem sendo colocado nas redes sociais. Ela questionou a Ação proposta pelo promotor de Justiça, Belarmino Alves dos Anjos Neto. “O questionamento é que eu teria direcionado recursos para a maternidade Zacarias Junior. O detalhe é que para 2014 eu nem fiz destinação de recursos porque no ano anterior estava exercendo o cargo de secretária municipal de Saúde em Aracaju”.


Goretti pontuou que a Maternidade passou por inspeções do Ministério Público Estadual e Federal e que em nenhum momento se identificou irregularidades na aplicação dos recursos. “Essa ação vem cinco ou seis anos após porque queriam encontrar um motivo, querendo que eu restitua só pelo fato de meu esposo ter exercido a presidência da Maternidade, que também conta com um colegiado fiscal e com secretários. Essa Maternidade não atende apenas a Lagarto, mas a toda região e até aos municípios da Bahia, além de ser reconhecida e premiada pelo Ministério da Saúde”.


“Quero saber qual o problema, onde há o impedimento de que não se podia repassar recursos para uma entidade onde há um parente de deputado? Isso nunca aconteceu? Por que só comigo? Era para verificar a aplicação e execução dos recursos. Isso sim! A Maternidade faz mais de 3 mil procedimentos por ano”, disse a deputada, acrescentando que “será que isso se deve ao fato de meu nome ser cotado para disputar a prefeitura de Lagarto em 2020 e já estou incomodando?”, questionou.


Por fim, Goretti Reis denunciou que o promotor de Justiça que assina a Ação tem um parentesco com a atual prefeita de Lagarto e que a medida “seria uma forma de protege-la para me queimar. Eu sou uma mulher ética, séria e desafio qualquer um que prove um só desvio meu de recursos. Eu me conheço, tenho compromisso com a coisa pública, por onde passei e não vou deixar isso passar, deixar o meu direito de falar. Respeite as pessoas porque se estou aqui é porque tenho credibilidade junto ao povo”, disse, recebendo a solidariedade do também deputado Georgeo Passos (Cidadania 23).

Da Ascom



15-09-2019
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter