Universo Político.com

CIDADANIA -
O digitador e o equilibrista...
Até que ponto o mundo virtual nos deixa um pouco embriagados?
O digitador e o equilibrista...

O virtual é também um mundo real. Se você pensa no mundo virtual como oposição ao real, é preciso rever seus conceitos. O virtual não é algo concreto ou material, mas é uma extensão do real. Filosofias a parte... É só olharmos de forma mais atenta para percebemos como o mundo da internet está ligada ao mundo contemporâneo, produzindo modos de vida, potencializando e interferindo em mobilizações sociais, gerando formas de se expressar. Mas será que temos aproveitado bem esse tempo na internet? Será que realmente estamos usando nosso potencial criativo e aproveitando bem as possibilidades do mundo virtual? Descobrindo coisas novas e se aprofundando em outras já conhecidas?

 

Como diria uma querida amiga minha: “esse negócio é como o mundo da Caverna do Dragão, você entra e não consegue sair mais”. A referência feita ao facebook em tom de piada, pode ser uma frase sintomática das nossas rotinas cotidianas. A verdade é que muitas vezes, navegamos na tela (seja do celular ou do computador) sem rumo e quando percebemos já passou um tempo enorme e nem sequer aproveitamos de forma produtiva o mundo virtual.

 

Mas o excesso de acesso a este mundo tem uma explicação até psicológica e química no organismo. “Parte do nosso cérebro prefere a gratificação imediata, que é o que os comentários na internet fornecem, por exemplo - a cada ‘curtir’, uma descarga de dopamina, hormônio ligado ao prazer, inunda nosso sistema nervoso”, como escreveu Jeanne Callegari em uma bela reportagem sobre como manter o foco nos dias atuais.

 

Entender o que se passa com a gente é um passo importante para um olhar mais produtivo e, por consequência, até uma cidadania mais ativa na internet. Encontrar causas comuns para agir no mundo concreto, estudar e discutir autores que gostamos de ler, aprender um novo idioma. As possibilidades são muitas. Mas duas coisas são certeiras: a primeira é que precisamos disciplinar melhor nosso tempo no mundo virtual e a outra é que temos a necessidade de aproveitar melhor esse tempo para nosso crescimento.

 

Interessante também perceber que dentro do próprio mundo virtual existem também diversas reações e movimentos que fazem a gente pensar os nossos hábitos no mundo virtual. Uma das frases mais interessantes que captei dessas reações veio do vídeo abaixo. “O mundo digital canibaliza o tempo” .. No fantástico depoimento "Life in The Digital Now" das conferências TED a escritora Abha Dawesar faz um alerta sobre a obsessão das pessoas estarem conectadas relatando sua experiência quando ficou presa em Nova York por conta de uma tempestade de areia. Abha percebeu que uma das principais preocupações das pessoas era se manterem conectadas e ao invés de focar na própria sobrevivência.

 

"O mundo digital canibaliza o tempo" afirmou a escritora citando o seu mestre de Yoga. Vale assistir

 

(http://www.ted.com/talks/abha_dawesar_life_in_the_digital_now#t-76342])

 

O que é uma reflexão para aproveitar o momento, também nos pede mais equilíbrio e inteligência nos nossos hábitos virtuais. Isso sem contar na segurança digital, mas isso já é papo para uma outra coluna. Sempre bom lembrar que quanto maior equilíbrio entre os dois mundos (virtual e material) de uma mesma vida mais ricos seremos em experiências e vivências.. E você .... instigado cidadão?!? Quanto e como você tem utilizado seu tempo no mundo virtual? 

 

Sugestão: "Ajuste seu foco", reportagem de Jeanne Callegari - http://vidasimples.abril.com.br/temas/ajuste-seu-foco-744599.shtml

 

 

* Thiago Paulino é  aracajuano, jornalista, roteirista e editor de texto.  Jornalista pós graduado em Jornalismo Cultural e Mestre em Mídia e Cultura. Colunista do NaPolítica com a Cidadania Instigada. Contato: paulinothiago@gmail.com