Na Política

Biblia Online

25/05/15 | 10:00h (BSB)

Edvaldo fala de candidatura do PCdoB em Aracaju, e diz que administração atual caiu

Ex-prefeito diz ainda que reforma política que está no Congresso ainda é "capenga"

*Notícia atualizada 

Por Adriana Freitas

O ex-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) conversou com o Portal NaPolítica sobre como o partido já está se preparando para as eleições de 2016. Edvaldo falou de candidatura do PCdoB em Aracaju, e disse que "administração atual caiu  todos os níveis". O ex-prefeito também comentou sobre as discussões da Reforma Política defendendo o fim da reeleição e um mandato mais longo de cinco ou seis anos. Confira:


Qual a perspectiva do PCdoB em relação as eleições de 2016?
O PCdoB está com o projeto de disputar as eleições majoritárias em todo país nas eleições de 2016. É um projeto definido pela direção nacional do partido que acha muito importante participar efetivamente das eleições e aqui em Sergipe, nós estamos nos preparando para participar na maioria dos municípios com candidatos a prefeito e vereador. Nós queremos expandir o partido a partir das eleições em pelo menos 50 municípios.


O partido já começou o processo de diálogo para novas filiações?

Sim. Já começamos a conversar e trabalhar para novas filiações. Saímos vitoriosos nas eleições de 2014, onde eu fui o deputado federal mais bem votado da nossa coligação em Aracaju e o padre Inaldo se elegeu deputado estadual. Nós temos nomes para disputar as eleições em várias cidades como candidato a prefeito, seja como candidato a vereador.


O senhor acha que esse bom resultado da sua sua disputa para deputado federal pode ser um fator positivo a seu favor na disputa pela prefeitura de Aracaju?
Tenho aparecido como o primeiro colocado em todas as pesquisas que tenho visto disputando com o prefeito João Alves a preferência do eleitorado. Temos sentido que com a atual administração da cidade caiu em todos os níveis. Agora mesmo saiu uma pesquisa dizendo que Aracaju está em 20° lugar no quesito transparência. Os índices todos estão piores e o PCdoB está discutindo a possibilidade de ter um candidato para disputar.

Caso o senhor seja convidado a ser esse candidato, o desafio será aceito?
Acho que ainda é cedo para falar em nomes. O PCdoB vai se preparar para participar das eleições em Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e outros municípios.


Como o senhor tem acompanhado as discussões em relação à Reforma Política?
Acompanho com muita tranquilidade e com esperança. Espero que os deputados possam de fato fazer a Reforma Política que o Brasil necessita. Se eu fosse deputado federal, estaria em Brasília batalhando por uma reforma que permitisse mais liberdade democrática e uma reforma que tratasse com carinho o esquema de financiamento de campanha porque ninguém suporta mais a corrupção desenfreada nas campanhas eleitorais.

O senhor acha que a Reforma Política discutida no Congresso vai trazer grandes mudanças?
A Reforma Política que está no Congresso ainda é uma Reforma capenga porque tem vários pontos que ninguém sabe no que vai dar. Começou uma reforma e agora já tem outra. O Congresso ainda não se colocou de maneira firme no sentindo de fazer uma reforma eleitoral pensando no país. o pensamento ainda permanece nos partidos e nos mandatos.

Em relação à reeleição, o senhor é favorável ou contra?
Sou contra a reeleição e acho que deveria ter um mandato maior de cinco ou seis anos, sem direito a reeleição. Defendo essa tese. O país é melhor um mandato mais longo e sem reeleição.

Da redação



17-10-2017
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter