Na Política

Biblia Online

11/08/14 | 10:30h (BSB)

João Daniel:“Não pensamos uma disputa em condições econômicas, mas na força da militância”

Entrevista: deputado fala sobre pleito eleitoral e suas defesas

Por Adriana Freitas

 

O deputado estadual João Daniel (PT) que está na disputa como candidato a deputado federal, diz que quer dar continuidade a militância em defesa dos movimentos sociais, e fala do que espera de Dilma Rousseff e Jackson Barreto. Confira na entrevista completa ao Portal Na Política:

 

Deputado, quais as expectativas em relação às eleições, que tipo de disputa o senhor está disposto a enfrentar?

João Daniel – Queremos dar continuidade a todo projeto que ajudamos a construir ao longo da história. E com o nosso mandato de deputado estadual pudemos acompanhar e ampliar a nossa presença e projetos em outros setores e categorias da nossa sociedade. Nosso objetivo é, de fato, disputar um projeto comprometido com os interesses dos trabalhadores urbanos e rurais.

 

Como o senhor analisa esse pleito diante de outros candidatos fortes em sua coligação? Tem se deparado com disputas internas na busca por apoios, como lida com isso?

João Daniel - Nós temos um trabalho, uma história e um grupo articulado de movimentos sociais e militância do Partido dos Trabalhadores (PT). Nunca pensamos numa disputa em condições econômicas, mas, sim, na força real da militância dos movimentos sociais e populares e de um projeto político que nos dá motivos para lutar que são as causas maiores de uma sociedade mais justa, igualitária e fraterna.

 

Quais os principais trabalhos marcaram seu mandato e que o senhor pretende manter como bandeiras, caso seja eleito?

João Daniel - Os principais trabalhos que marcaram foram demandas coletivas trazidas por movimentos sociais e categorias da sociedade sergipana, nas mais diversas áreas da qual nós nos propomos quando fomos candidato e após, já com mandato, demos continuidade àquilo que nos propomos e acabamos ampliando uma série de demandas, a exemplo da questão ambiental, onde somos coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista de Sergipe, e dos trabalhos de outras categorias de trabalhadores, como com os da construção civil. Em sendo eleito, manteremos todas as bandeiras em que já estamos atuando e nos colocaremos à disposição para outras reivindicações e propostas de categorias de trabalhadores que forem demandadas.

 

Quais Municípios contaram com ações do seu mandato?

João Daniel - Nosso mandato não é localizado por município e, sim, projetos, propostas e temas estaduais e regionais, a exemplo da reforma agrária, moradia popular, questão da educação, da juventude, mulheres, mais creches, enfim, de temas importantes. Além de muitas indicações e reivindicações de comunidades e municípios que nós acompanhamos.

 

Quais as novas propostas?

João Daniel - Estamos debatendo com os diversos setores, a exemplo de todos os representantes de organizações do campo que nos apoiam, que fizeram encontros e nos apresentam uma proposta para um mandato de deputado federal. Agora estamos realizando reuniões com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Estamos debatendo com sindicalistas da área urbana das várias categorias sobre a principal visão deles para um mandato de deputado federal. Esta semana também participamos de uma grande discussão sobre um projeto de educação pública para a juventude do estado de Sergipe, em Feira Nova. Uma das propostas na área da juventude é a ampliação de políticas públicas para esse público e a questão da educação. Ou seja, são propostas construídas coletivamente. Não trabalho com a proposta de João Daniel, mas uma proposta formada a partir de um debate do coletivo e dos próprios sujeitos.

 

Como o senhor avalia os problemas enfrentados em Sergipe na área da saúde, educação e segurança pública, e como, no caso de eleito, pretende ajudar junto ao Congresso?

João Daniel - Existe uma série de problemas na área da saúde no Brasil e em Sergipe que não é recente, mas faz parte da história da formação do Estado brasileiro e das políticas que foram desenvolvidas. A população passou a ter mais acesso, cobrar mais e os governos passaram a investir mais, a exemplo do que foi investido no governo Marcelo Déda e Jackson Barreto. Mas ainda precisa ser feito muito na área da saúde. E esta vai ser uma defesa do nosso mandado: trabalhar e lutar por uma saúde pública preventiva, que ajude, a partir da educação, as pessoas. Precisamos compreende por que tantas doenças novas, como o câncer, estão atacando nossa população e sabemos que um dos grandes motivos disso são os alimentos contaminado com grande teor de agrotóxicos, para não pensar que a solução é apenas médicos e hospitais. Claro que defendo que os hospitais regionais, estaduais e as clínicas de saúde estejam funcionando bem, mas também temos que debater um projeto na saúde preventiva. Nós lutamos e ajudamos a construir, através do governo federal, a grande política do programa Mais Médicos que hoje é uma realidade em Sergipe e no Brasil. Queremos defender programas como este que levem saúde preventiva a toda população nos locais mais longínquos.

Existem vários problemas enfrentados na Educação e, nessa área, nós lutaremos para o funcionamento das escolas técnicas profissionalizantes que estão sendo implantadas, pele expansão do Instituto Federal de Sergipe (IFS) e da Universidade Federal de Sergipe (UFS) para todas as regiões do Estado. Eu acredito que essa deve ser uma pauta que nossa juventude e a sociedade sergipana precisam debater, bem como a possibilidade de construção de uma universidade estadual pública, que foi uma demanda que nos foi feita pela juventude e temos acompanhado. Mas a promoção disso depende de um grande debate da sociedade e governo. Mas queremos o IFS funcionando em todas as regiões e também a UFS, com sua ampliação para a região Centro-sul e Baixo São Francisco.

Na área da segurança, acompanhamos e sabemos os problemas de Sergipe e do Brasil. Precisamos compreender que nossa sociedade é violenta e individualista, fruto de um sistema que não constrói entre as pessoas a solidariedade e a questão humanista. Vivemos numa sociedade que prega o consumo e o individualismo. Portanto, precisamos debater as causas que levaram e levam a nossa sociedade a ser violenta, o que leva a nossa juventude ao uso de drogas. Precisamos ter polícia nas ruas, mas precisamos construir um grande debate para fortalecer as experiências bem sucedidas que já existem, a exemplo dos Conselhos Comunitários de Segurança e a Polícia Comunitária, e ter uma polícia, como nós já avançamos, qualificada, preparada e com condições e estrutura para garantir segurança pública à nossa população.

 

O que o senhor espera da candidatura do PT à reeleição na Presidência, mesmo diante de certas críticas por problemáticas no atual governo?

João Daniel – Nós que ajudamos a construir o governo do presidente Lula e ajudamos a eleger a presidenta Dilma e estamos na luta pela sua reeleição esperamos e confiamos que o Brasil e o governo possam avançar nas grandes reformas no nosso país, buscando apoio da sociedade para construir ainda mais, a exemplo de uma grande reforma política no país. O atual modelo eleitoral do nosso país privilegia o poder econômico conservador. Precisamos fazer uma grande reforma política no Brasil e precisamos aprofundar e avançar na participação da sociedade. Além dos grandes programas que vêm sendo implantados, ampliar os programas nas áreas de educação, saúde, habitação, infraestrutura, da questão da mobilidade urbana, dos transportes públicos, enfim, encarar todos os grandes problemas do país com participação da sociedade e grandes investimentos.

 

O que espera da candidatura de Jackson Barreto (PMDB), principalmente nos Municípios que o senhor tem conquistado apoio?

João Daniel – Tenho total confiança no nosso candidato Jackson Barreto, esta é uma candidatura construída com a história e a luta do nosso povo sergipano. É uma liderança muito preparada que já exerceu todos os cargos com muita dignidade e o que eu espero, e tenho certeza disso, é que ele aprofunde, cada vez mais, a participação popular, um estado mais democrático e comprometido com as pessoas mais pobres para erradicação definitiva da pobreza em Sergipe, para a melhoria e ampliação da educação pública, da saúde, enfim, de todos os temas que envolvem as nossas questões.

Jackson Barreto, como ninguém, conhece todos os municípios e locais de Sergipe. Tenho certeza que, como já vem fazendo, continuará dando atenção a todos por igual, cada um com suas demandas, seja um grande município como Aracaju ou o menor deles, olhando com carinho, cuidado e ajudando a população. Que ele continue implantando a política de emprego não concentrada. Com isso, evita o êxito rural e mantém a população morando nas pequenas cidades do interior. Espero e acredito que possa investir numa grande política de habitação de interesse social para a população pobre que não tem casa e, assim, resolver definitivamente o déficit habitacional das famílias sem moradia. Na área da agricultura e pecuária sei de seu compromisso e esperamos que ajude a implantar uma política agrária mais forte, para resolver a questão dos acampamentos e estruturar os assentamentos, apoiar uma política forte para a pequena agricultura que ajude a levar programas, a exemplo de agroindústria, e melhoria das condições da população agrária e incentive a lei de nossa autoria, já aprovada e sancionada pelo governo, que cria a Política Estadual de Agroecologia.

 

Da redação Na Política.com



23-05-2017
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter