Na Política

Biblia Online

Tamanho da letra

09/03 | 23:11h

Equilíbrio no prato é sinônimo de vida saudável

Alimentação deve ser balanceada para que o corpo realize as suas funções de maneira adequada e ofereça bons resultados

Ampliar Foto

Foto: Divulgação

      Acabaram as desculpas. O Natal, Ano Novo e Carnaval passaram, e agora é hora de colocar em prática as promessas, inclusive, a de começar a dieta na segunda-feira. De acordo com a nutricionista Lacy Lima, quem se alimenta de forma saudável, passa a ter benefícios no sono,  humor, disposição, auto estima e concentração, além de receber auxílio no tratamento e prevenção de várias doenças como obesidade, câncer, anemia, dislipidemia, hipertensão e diabetes. Convenhamos que estes são argumentos mais que suficientes para convencer qualquer um de que uma boa alimentação é garantia de qualidade de vida.

 

 Foto: Divulgação

 

        Para quem está acostumado a "enfiar o pé na jaca" não é fácil mudar os hábitos, mas a nutricionista afirma que existe uma tática para dar início a dieta. “Para começar é necessário retirar os excessos de alimentos prejudiciais à saúde, como: refrigerantes, doces, sorvetes, frituras, embutidos (presuntos, salames, salsicha, calabresa), além de ser muito importante, beber bastante água, mastigar os alimentos, fracionar as refeições, acrescentar frutas, verduras e legumes durante todo o dia, como também, evitar temperos prontos e dar preferência às ervas aromáticas”, orienta.

 

      A velha frase de que pratos coloridos são saudáveis não é mito. Lacy orienta que sejam realizadas 5 a 6 refeições ao dia com nutrientes essenciais ao corpo à base de vitaminas, minerais, carboidratos, proteínas e lipídios, tudo isso de forma saborosa, colorida e equilibrada. “Os pratos coloridos são um passaporte para uma alimentação balanceada. É importante tentar variar ao máximo os vegetais, frutas, cereais, grãos, proteínas, gorduras e carboidratos, pois cada um destes possuem papel fundamental no organismo”, explica.

     

     Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), a dieta deve compor de 50 a 60% de carboidratos, que são a principal fonte de energia do organismo, importante ativador metabólico, necessário para o bom funcionamento do sistema nervoso central e responsável pela função estrutural na membrana das células. “Torna-se importante para a população ativa por ser a chave para o máximo de energia, velocidade, resistência, concentração, recuperação e melhor equilíbrio hídrico”, revela Lacy.

Lacy Lima garante bons resultados com disciplina

(Foto: Arquivo Pessoal)

 

      Quando se trata dos lipídios, Lacy Lima diz que estes são indispensáveis para o nosso organismo e que a sua recomendação diária são de 20 a 30%, de acordo com a OMS. “O colesterol, uma gordura fornecida pela alimentação e produzida pelo fígado, ajudam na absorção das vitaminas lipossolúveis ( A, D, E e K), reveste a membrana das células, serve como matéria-prima para síntese de hormônios esteróides e sais biliares”, diz.

 

     Foto: Divulgação

 

      Para a nutricionista, as proteínas devem compor de 15 a 20% da alimentação e têm papel fundamental na dieta, formada por aminoácidos estes são responsáveis pela reparação e síntese dos tecidos, agindo em favor da imunidade na produção de anticorpos, enzimas, hormônios, Além de atuar no transporte de vários nutrientes pelos organismo.

 

    Os cuidados na dieta não se resumem só à escolha dos alimentos, pois existem detalhes importantes que contribuem para um corpo mais saudável. “Tomar líquido durante a refeição não é interessante, pois este hábito faz com que o estômago dilate e mande informação ao cérebro de que existem espaços vazios a serem preenchidos, levando o paciente a comer mais do que seria necessário. Além de que o excesso de líquidos dilui o suco gástrico, fazendo com que retarde o processo de digestão, inibindo a absorção de alguns nutrientes por diminuir a ação das enzimas digestivas, podendo ocasionar indigestão, gases e flatulências”, afirma Lacy Lima.

 

 

       Mastigar os alimentos e comer devagar foram outros pontos enfatizados pela nutricionista. Segundo ela, ambos auxiliam no controle do peso e melhoram a absorção de todos os nutrientes, estimulam a produção de hormônios de controle de saciedade, assim como reduz a produção de hormônios que aumentam a fome. Portanto, a mastigação adequada facilita o trabalho do sistema digestório, evitando a distensão abdominal e a sensação de estar empanzinado.

 




18-01-2019
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter