Na Política

Biblia Online

07/08/18 | 23:47h (BSB)

Secretária da Saúde apresenta relatório do 1º quadrimestre de 2018 na CMA

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 7, uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Aracaju (CMA) com a secretária da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza, para apresentar aos vereadores o relatório do 1º quadrimestre de 2018. O relatório apresenta dados indicativos para acompanhamento, controle e avaliação das ações da saúde do município de Aracaju.

De acordo com a secretária, o relatório é elaborado com base no Plano Municipal de Saúde no período de 2018 a 2021, confeccionados pela atual gestão. O relatório registra a avaliação da Política Pública de Saúde de Aracaju e refere-se a um instrumento de monitoramento e acompanhamento da execução da Programação Anual de Saúde, pois apresenta a síntese do funcionamento do sistema municipal de saúde de Aracaju no período de janeiro a abril deste ano. “Com o prontuário eletrônico estamos tendo um subsídio melhor para trabalhar a política de saúde adequada de acordo com a necessidade de saúde de cada comunidade. O nosso foco é trabalhar em cima dos indicadores para melhorar a qualidade de vida e a saúde da população. Ainda temos muito a alcançar e melhorar os indicadores de saúde em Aracaju, mas já há um avanço com relação aos dados”, afirmou.

Durante a apresentação, Waneska destacou os índices de mortalidade em Aracaju e as principais causas. “A população está indo a óbito em maior quantidade por não está acessando aos serviços de saúde de cuidados preventivos. O nosso objetivo é reduzir esse índice. As principais causas de mortalidade no 1º semestre são doenças do aparelho circulatório (20,99%), causas externas (17,46%) e as neoplasias (14,5%). Quanto as hospitalizações, excetuando as relacionadas à gravidez, parto e puerpério, as principais são as doenças do aparelho digestivo, do aparelho respiratório e neoplasias”, pontuou.

A secretária também enfatizou que durante o 1º quadrimestre foram realizados 1.624 exames de mamografia realizados em mulheres de 50 a 69 anos, além de outros dados referentes aos indicadores de saúde.

Outro assunto discutido na audiência foi com relação a receita e despesa da secretaria durante o período de janeiro a abril de 2018. “A Secretaria Municipal de Saúde alcançou uma receita total de R$ 169.618.149,32 e no mesmo período, totalizou o valor de R$ 147.240.415,63 com gastos e despesas administrativas e operacionais liquidadas”.

Questionamentos

Após as explanações, os vereadores fizeram questionamentos à secretária da Saúde. O parlamentar Fábio Meireles (PPS) parabenizou a secretária Waneska Barboza pelo trabalho desenvolvido e questionou sobre o trabalho e atuação da Secretaria na prevenção e atendimento de pediatria, além de perguntar se houve reduções nos leitos.

Jason Neto (PDT) também destacou a atuação da nova gestão da Saúde. “Jamais podemos torcer contra a saúde e estou satisfeito com o trabalho da secretária e de toda a equipe da saúde. Mas gostaria de questionar se a SMS poderia ter algo próprio para coleta dos exames e não utilizar o Lacen. E questiono mais uma vez sobre a reabertura do posto Elisabeth Pita que ainda está sem funcionamento”, perguntou o vereador.

Kitty Lima (Rede) falou sobre o número de animais castrados em Aracaju, que ainda está baixo. “É preciso maiores ações para que o Castramóvel tenha efetividade no seu funcionamento. O meu projeto também destaca a castração das fêmeas, e ainda não tive retorno sobre isso. Enquanto comissão de saúde, tenho participado de reuniões com representantes dos renais crônicos, ainda não vimos representação da saúde do município nessas reuniões. Também tivemos muitas demandas com relação ao funcionamento do Hospital Fernando Franco na zona sul da cidade”, ressaltou a parlamentar.

Américo de Deus (Rede) destacou importância de incentivar as Campanhas de Vacinação e quais as ações que estão sendo feitas com relação a Aids.

 

Da CMA



15-12-2018
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter