Na Política

Biblia Online

09/10/17 | 11:52h (BSB)

Sukita fala de torturas no presídio e Sejuc estranha "atraso" na denúncia

Do Portal NaPolítica

O  ex-prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita, denunciou que foi torturado durante a sua passagem no Complexo Penitenciário Advogado Antônio Jacinto Filho (Compajaf).  Por outro lado, a Secretaria de Justiça e Defesa do Consumidor (Sejuc) afirma que Sukita  nunca procurou a Corregedoria da Sejuc para formalizar a denúncia.


“A Sejuc garante que não coaduna com práticas deste tipo contra qualquer interno, seja lá de qual classe social advenha. Por outro lado, estranha-nos tomar conhecimento que Sukita, durante todo esse período, nunca procurou a Corregedoria da Sejuc para formalizar denúncia que pudesse ser apurada com rigor. Vale esclarecer que  não há nenhum registro de queixa feita, anteriormente, na Corregedoria pelo senhor Manoel Messias Sukita dos Santos”, afirmou a SEJUC em nota.

Durante entrevista  ao radialista George Magalhães,  Sukita disse que a tortura aconteceu e até o momento nada foi investigado. “Fui torturado na prisão. Em 40 dias, eu só tomava água à noite. Eu passei 37 dias sem ver a luz do sol” denunciou o ex-prefeito, que ainda disse que a água era escorrida para que ele pudesse ver e em seguida liberada para que ele pudesse lamber.

Ainda segundo a SEJUC, Sukita deu entrada no Compajaf no dia 4 de junho de 2014 e só foi posto em liberdade no dia 13 de junho do mesmo ano. Mas em 11 de agosto de 2014 ele foi preso novamente, por determinação judicial, sendo encaminhado ao Cadeião de Socorro e no dia 15 de agosto foi transferido para o Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan) até ser posto em liberdade, no dia 18 de agosto de 2014, por força de um alvará de soltura.

Da redação



15-12-2017
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter