Na Política

Biblia Online

11/09/17 | 09:28h (BSB)

Maria Mendonça lamenta descaso para com os pacientes renais crônicos

A deputada estadual Maria Mendonça (PP) revelou hoje a sua tristeza com a falta de assistência aos pacientes renais crônicos de Sergipe. A sua fala foi logo após ouvir os relatos, em forma de denúncia, do presidente da Associação de Renais Crônicos e Transplantados de Sergipe (Arcrese), José Lúcio Alves Costa, no plenário da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira (6).


“Essa situação me deixa triste. Fui gestora de Itabaiana e, àquela época, disponibilizávamos transporte para trazer as pessoas para fazer hemodiálise na Aracaju. Lutamos, com o então deputado federal Eduardo Amorim (atual senador da República) e conseguimos a Clínica de Nefrologia para o nosso município. Essa clínica entrou em funcionamento em 2008 e, agora, o atendimento foi interrompido, para que sejam trocados os filtros”.

No total, a estrutura atende 142 pacientes, dos quais 110 já foram lotados em Aracaju, mas outros 32 estão sem atendimento porque não tiveram o procedimento autorizado pelo Núcleo de Controle, Avaliação, Auditoria e Regulação (Nucaar), da Secretaria da Saúde de Aracaju.

Maria contou que o Hospital do Rim, em Aracaju, disponibiliza as 32 vagas para absolver essa demanda, mas informação, no entanto, é de que o Nucaar não possui teto financeiro para autorizar o acolhimento. “Temos que pensar em vidas, não em teto. As vidas dessas pessoas devem ser priorizadas. Não nos interessa de quem é a responsabilidade. Interessa-nos é que as 32 pessoas sejam atendidas com dignidade e respeito”, salientou a deputada Maria Mendonça.

Ela relatou que entrou “em contato com o prefeito Valmir de Francisquinho, que ligou para a secretária municipal da Saúde, Waneska Barboza, não conseguiu falar; em seguida telefonou para a vice-prefeita Eliane Aquino, com quem falou e estamos aguardando que esses pacientes, que estão aflitos por conta da interrupção do tratamento, sejam atendidas em Aracaju, até que possam retomar os seus atendimentos na Clínica de Nefrologia de Itabaiana”.


EXISTEM RECURSOS


Para Maria, “essa é uma situação que exige, sobretudo, do poder público, um olhar diferenciado para esses cidadãos que têm suas vidas comprometidas em virtude da forma inconsequente como são tratados pelos governos”. No seu entender, a explanação do presidente da Associação deixou clara que há recursos para garantir os atendimentos, no entanto, precisam ser aplicados de maneira adequada, em observância às reais necessidades dos que precisam do tratamento.

“Sabemos que os pacientes não podem esperar para amanhã ou próxima semana. É preciso providências imediatas”, cobrou Maria, enfatizando o papel preponderante do Legislativo na interlocução com o Poder Público, considerado que o Parlamento é a caixa de ressonância da sociedade. “A responsabilidade é de todos e aqui, coloco-me inteiramente à disposição para auxiliar na abertura de diálogo com os demais segmentos”, avisou.


MOBILIZAÇÃO DE TODOS OS AGENTES


Diante do quadro exposto pelo presidente da Arcrese, a deputada Maria Mendonça sugeriu a elaboração de uma Moção de Apelo, endereçada ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, para que ele conheça a dura realidade dos pacientes renais de Sergipe e adote medidas no sentido de garantir o devido atendimento. “O que esses pacientes querem é dignidade”, disse a parlamentar, ao propor à presidente da Comissão de Saúde, deputada Sílvia Fontes, que documente tudo o que foi relatado e vá até Brasília, levar ao conhecimento do ministro todo esse quadro.


“A comissão da Saúde deve agir o quanto antes. Se desejar, posso pedir ao senador Eduardo Amorim para fazer esse agendamento com o ministro; a nossa assessoria se propõe elaborar a Moção para que Vossas Excelências (integrantes da Comissão de Saúde) possam levar, em mãos essas demandas. Não podemos ficar inertes diante de tudo isso que nos angustia”, apelou Maria, ressaltando já acompanhou de perto a angústia dos pacientes e de seus familiares e sabe quão difícil é a situação.


Lembrando o Setembro Verde, movimento internacional de incentivo à doação de órgãos, Maria Mendonça, lamentou a ausência de estrutura para fazer transplante renal em Sergipe, há anos. “Isso é muito lamentável. Recorro mais uma vez à Comissão da Saúde para que agende uma audiência com o secretário de saúde, (José) Almeida Lima para levar toda essa situação de dificuldade exposta hoje no plenário da Alese”, falou Maria.

No seu entender, quem sabe, seja a hora de fazer uma audiência pública, convidando todos os entes municipais, estaduais e federais para abrir o debate sobre o assunto que é tão relevante. “Infelizmente, os pacientes renais não têm a piedade dos que estão no comando do Estado”, salientou a deputada.


Da Ascom



23-09-2017
 

 

 

Resultados - Eleições 2016

 

Setransp

 

 

Parceiros
TPM

 

Tudo Salvo

 

 

Fazer o Bem

 

Ciclo Urbano

 

Adjor

 

Sindjor

 

 

Twitter